7 tecnologias mais buscadas por profissionais de TI

7 tecnologias mais buscadas por profissionais de TI

É oficial: TI e Telecom são os setores que mais contratam, mesmo na crise. O número de contratações para desenvolvimento de software cresce a cada dia e as médias salariais estão entre as maiores do mercado. Por outro lado, profissionais cada vez mais qualificados e exigências específicas de empresas podem afastar você daquela vaga tão sonhada. Nós, da GeekHunter já demos uma mãozinha para estruturar um currículo matador, agora indicaremos as 7 tecnologias mais buscadas pelas empresas contratando profissionais de TI.

A seguir você confere em ordem o ranking da pesquisa da GeekHunter, que identificou as linguagens e frameworks de maior interesse e aplicação comercial. O levantamento inclui mais de 350 empresas que estão no portfólio da GeekHunter como base, sendo a maior concentração nas cidades de São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Florianópolis e Belo Horizonte. Não precisa dizer que profissionais com essa qualificação no perfil têm uma maior chance de serem contratados, e apesar do conforto de trabalhar com Pearl pelos últimos 20 anos, não custa nada conhecer maneiras mais eficientes de desenvolver seu sistema, não é mesmo?

Conteúdo ocultar
1 O Campeão: JavaScript
2 O Vice: HTML (e CSS)
3 3º Lugar: Java para Android
4 4º Lugar: Java
5 5º Lugar: PHP
6 6º Lugar: Python
7 7º Lugar: Ruby
O Campeão: JavaScript
Seja no StackOverflow ou no GitHub, a maior parte dos projetos, repositórios e requests tem alguma relação com JavaScript. O crescimento da demanda pela linguagem, que tem pouco mais de 20 anos, pode ser em parte explicado pela necessidade de adaptação da Web para dispositivos mobile. Do primeiro iPhone ao 4G, 8 anos se passaram e mais da metade das buscas no Google já são feitas por smartphones, e esse número só tende a aumentar.

Some a isso frameworks poderosos, como NodeJS ou AngularJS, que possibilitam o desenvolvimento com integração simplificada para aplicações de e-Commerce, APIs nativas com JSON ou mesmo serviços de streaming, e você entenderá o porquê JS está no topo da lista.

Quanto maior o uso, maior é o ganho para usuários e plataformas: outros complementos como jQuery/UI, Google Material/Polymer estão presentes na maior parte dos sites, o que significa que você pode salvar preciosos segundos no carregamento da sua aplicação usando dados em cache do usuário, carregando scripts via CDN, por exemplo.

Por mais deliciosos que possam ser pêssegos em calda enlatados, eles não são bem lá os snacks mais práticos para um fim de semana acampando. Para começar a se aventurar com JavaScript, tudo o que você precisa é de um editor de texto e um browser, o que só corrobora para a sua grande aceitação entre os programadores.

O Vice: HTML (e CSS)
Também ligada (e muito!) ao desenvolvimento web, a linguagem HTML continua sendo exigida pela grande maioria das empresas que procuram profissionais competentes. Claro, como não vivemos mais na década de 90, além do HTML, quem deseja ter futuro na área de desenvolvimento web deve dominar também as famosas “folhas de estilo”, utilizando CSS.

Há pouco tempo foram lançadas as tão esperadas novas versões do HTML e CSS pela W3C, trazendo muito mais robustez e recursos que acompanham as necessidades dos desenvolvedores atuais. Dizem que o grande Tim Berners-Lee se emocionou ao ficar sabendo das novidades por um de seus filhos.

Você que já é faixa preta em HTML e CSS, estude mais um pouco para chegar no primeiro DAN e tirar onda nas entrevistas de emprego. O HTML5 trouxe novas tags e funcionalidades para facilitar o desenvolvimento de sites cada vez mais interativos e amigáveis – tag