Carreira internacional para programador: quais são as possibilidades?

Carreira internacional para programador: quais são as possibilidades?

Não faltam oportunidades de trabalho para desenvolvedores no Brasil, mas é um fato que lá fora há muitas boas oportunidades também. A carreira internacional para programador é um caminho que pode ser trilhado por quem busca novos desafios e novas experiências de vida.

Existe uma alta demanda por profissionais da área em vários países, como o Canadá, Holanda, Alemanha e Estados Unidos. Em muitos desses lugares, todo o processo para visto de trabalho, moradia, mudança, etc. são inclusive facilitados e gerenciados pela empresa contratante.

Neste artigo, vamos falar sobre algumas das possibilidades de trabalho para desenvolvedores no exterior, as vantagens de ter uma carreira internacional e como se preparar para esse desafio. Boa leitura!

Preparação para trabalhar no exterior
Antes de pensar em começar a trabalhar para empresas de fora do Brasil, é crucial se preparar para não desperdiçar boas oportunidades. E o fundamental aqui é afiar o inglês. Mesmo para quem não quer sair do Brasil, o domínio do idioma é importante, já que as melhores referências e materiais de estudo sempre estão nessa língua.

Saber inglês é tão básico para um desenvolvedor como saber lógica de programação. Mesmo em países em que o idioma oficial é outro, é comum que o inglês seja utilizado como a língua franca no escritório. Além disso, até para conseguir trabalhos 100% remotos para empresas lá fora é necessário dominar o inglês.

Além do idioma, é preciso também se qualificar tecnicamente e investir em linguagens de programação, especialmente as mais utilizadas na área que o desenvolvedor pretende atuar.

Uma outra dica importante é se manter atualizado e acompanhar as tendências da área. Para isso, é necessário participar de eventos, meetups, acompanhar comunidades e, claro, trabalhar em empresas que sejam inovadoras.

Um programador em uma empresa retrógrada, por mais bem pago que seja, não só está deixando de evoluir, como muito provavelmente retrocedendo em suas habilidades. Não vale a pena desperdiçar oportunidades de crescer como desenvolvedor em empregos que não contribuem para a formação.

Apesar da demanda lá fora ser alta, a concorrência também é grande, portanto, é preciso ser bem qualificado e atualizado para poder disputar as melhores vagas.

A importância do portfólio
Essa é uma dica que vale para qualquer tipo de carreira: não basta ser bom, é preciso também que os outros saibam disso. Contudo, para demonstrar bem suas capacidades, não é preciso sair contando vantagens por aí: basta um bom portfólio.

Para desenvolvedores, uma conta no GitHub é a melhor forma de destacar o seu trabalho. Lá ficam registradas as colaborações em todo tipo de trabalho realizado, bem como outras informações que revelam bem o perfil técnico de cada desenvolvedor.

E vale a pena “engordar” o currículo com commits em projetos de software aberto, o que é extremamente respeitado na área e mostra com clareza o que o profissional é capaz. Da mesma forma, projetos pessoais, ainda que não tenham sido criados com objetivos comerciais, também podem ser boas formas de provar o seu valor mensurar a qualidade do seu trabalho.

Pesquisando oportunidades fora do país
Uma vez que o desenvolvedor já está preparado se aventurar fora do país, é hora de começar a pesquisar por oportunidades no exterior. Existem diversas abordagens nessa etapa e nada impede que o programador tente várias de uma vez.

O caminho mais comum é começar buscando por empregos remotos em empresas no exterior, em sites como o RemoteOk. Mesmo que o foco seja realmente se mudar para fora, uma vaga remota pode ser o primeiro passo para isso, já que nela o desenvolvedor já começa a projetar seu trabalho fora do país.

Outra dica é visitar páginas como o GlassDoor, que não só lista vagas em vários locais do mundo como também revela salários e análises de quem já passou por elas. O LinkedIn também é interessante para encontrar vagas abertas, mas é importante caprichar no perfil para evitar problemas. E, mais uma vez, o próprio GitHub também pode ajudar a encontrar oportunidades.

Hoje, boa parte das melhores oportunidades de emprego para brasileiros estão concentradas no Canadá, Holanda, Alemanha e Estados Unidos. Procurar por vagas nesses lugares pode ser um bom começo, especialmente em locais amigáveis a estrangeiros como Montreal, que mantém um programa ativo de recrutamento de profissionais de fora para o setor de tecnologia.

A busca por emprego também pode partir de interesses mais específicos. Quem quer trabalhar em empresas que admira como o Google, Apple ou Microsoft, pode deixar a timidez de lado e se apresentar para todas as vagas abertas nelas que se encaixem com o seu perfil.

Por fim, uma rede forte de contatos e indicações são sempre a melhor forma de encontrar oportunidades no mercado de trabalho. E para começar a formar esse networking, a participação em comunidades, meetups e eventos de tecnologia é de grande valia. Quem chega em uma cidade no exterior e não conhece ninguém da área pode resolver isso com facilidade, buscando eventos ou reuniões do MeetUp para encontrar sua turma.

Construindo uma carreira internacional
O primeiro emprego fora do país não deve ser encarado como o fim, mas sim o primeiro passo para uma grande jornada. Uma vez que o desenvolvedor consegue sair do país, ele não deve se acomodar e precisa continuar investindo na sua carreira.

Além de acompanhar tendências, é sempre bom ficar de olho em oportunidades melhores, que possam significar avanços na evolução profissional. E em cada etapa da carreira, é crucial realizar um bom trabalho e ser reconhecido por isso.

Cada nova cidade ou país pode representar um degrau nesse crescimento, em que é preciso se adaptar a uma nova cultura, um clima diferente e talvez outro idioma. Porém, é com essa escalada que se constrói uma carreira internacional de sucesso, tanto no desenvolvimento como em outras áreas.